Notícias

Telemont consegue excluir vídeo, mas não explica humilhações

24/03/2021 - 20h52 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

A Telemont Engenharia de Telecomunicações, contratada da Operadora Oi, se pronunciou, através de uma nota, sobre a matéria veiculada pela Rede de Televisão Record News, no dia 16 de março, após denúncia de um trabalhador. Ele gravou cenas grotescas de assédio moral e humilhações, praticadas contra trabalhadores no pátio da empresa, em Belo Horizonte (MG).

A nota da empresa, que usa a logo da Record TV Minas, emissora local que produziu a matéria, revela que o vídeo foi excluído da página da TV na internet, por conter erro gravíssimo de apuração da pauta, atribuindo à Telemont as 40 mil denúncias de assédio recebidas pelo MPT-MG (Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais) nos últimos cinco anos.

Entretanto, a empresa não esclarece, não explica, não se desculpa, pelo comportamento de um instrutor submetendo jovens trabalhadores a castigos físicos – pagar flexão – e humilhações num curso de treinamento para técnicos na Telemont. Alega, na nota, que não foi ouvida, mas a TV informa no final da matéria que a empresa foi procurada por telefone e e-mail, mas não respondeu.

Quem assistiu a matéria, realmente sentia o exagero da informação sobre as 40 mil denúncias contra a empresa e dá para concluir que a repórter cometeu um erro. Mas fora isso, as imagens mostradas, gravadas por um corajoso trabalhador, são fatos reais. E contra fatos não há argumentos.

A Telemont optou por apontar o exagero da matéria à ter de fazer um “mea-culpa” público, com quem sofreu o assédio e com quem viu as  imagens estarrecedoras.

Ao tomar conhecimento da denúncia, o presidente da Federação Livre  e do SinttelRio, Luis Antônio Souza da Silva, fez um duro questionamento sobre o fato ao diretor de Gente e Gestão da Oi, Marcos Mendes.

Resposta do diretor da Oi: 
Concordo integralmente com você e a Oi não compactua com esse tipo de situação.
Certamente trata-se de um caso isolado mas, mesmo assim não podemos tolerar.
Já enviei para o RH da Telemont e já falamos também com o Presidente (da Telemont) Gilnei .
A própria Telemont ficou surpresa com o acontecido, embora já tivesse conhecimento.
Vão formalizar uma resposta para a Oi, dizendo se tratar de caso isolado e as providências já foram tomadas para que o lamentável fato não se repita.

A resposta do diretor  mostra que a empresa já sabia da prática de assédio.

Reclamação

A nota da empresa foi enviada pelo Whats App ao presidente do SINTTEL-ES, Nilson Hoffmann, com a observação de que o Site da entidade ainda veiculava o vídeo.

Reconhecemos que a matéria tem um erro de informação quanto ao número de denúncias e a retiramos do vídeo. Porém, a denúncia em si não desaparece e é imperioso que a Telemont explique como permite que fatos  bizarros e abomináveis ainda aconteçam nas suas barbas em plena Pandemia e quais as medidas está adotando para acabar com as humilhações.

O vídeo vai continuar publicado no canal do Youtube do Sinttel-ES, agora sem o erro na informação, para que a empresa não esqueça que deve uma resposta a todos.

 

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Pin It on Pinterest

Sinttel-ES