Notícias

Sinttel participa de encontro de teleoperadores e da eleição da Fenattel em SP

07/10/2015 - 17h52 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

O presidente do Sinttel-ES, Nilson Hoffmann e os/as diretores/as Rita Dalmasio (Vivo), Alessandro Mamedi (Oi), Antônio Carlos (Oi) e Roberto Matos (Vivo) participam, em Atibaia-SP do Encontro Nacional de Teleoperadores e da Eleição para a Diretoria da Federação Nacional dos Trabalhadores em Telecomunicações  (Fenattel).

No dia 6/10, foi realizado um Seminário sobre Negociação Coletiva nas Operadoras com o Conselho Deliberativo da Fenattel. Os representantes (presidentes) dos Sindicatos Filiados à Fenattel ouviram uma palestra do economista do DIEESE, Ilmar Ferreira Silva, sobre o Cenário Nacional das Negociações Coletivas e Conjuntura Econômica. Após um debate sobre Acordos Coletivos e Convenções Coletivas Nacionais das Prestadoras de serviço em Telecomunicações e de Teleatendimento, o departamento nacional de negociação da Fenattel  e as comissões nacionais de negociação expuseram os pontos a avançar nas negociações com as principais operadoras.

As propostas  para as pautas unificadas nas são:  INPC integral; aumento real; unificações de benefícios; Não ao retrocesso e  garantia de emprego.

Os cuidados com o uso das redes sociais

Na manhã de 7 de outubro, o professor universitário, Ricardo Martins, apresentou a palestra sobre “Cuidados com o uso das redes sociais” no Encontro Nacional de Teleoperadores.

Martins fez considerações sobre as estratégias das empresas que usam o facebook para não contratar trabalhadores que expõem nas redes sociais fotos e opiniões que demonstrem críticas que não agradam às empresas. “Uma pesquisa revelou que 50% das empresas não contratam quem critica ou expõe os colegas de trabalho e empresas. Entretanto, apenas 20% das empresas que monitoram os empregados e os futuros empregados, demitem ou deixam que contratar quando há manifestações racistas e homofóbicas nos perfis das redes sociais”, destacou.

Aproximadamente 1,7 bilhão de pessoas utilizam smartphones, 64 bilhões de mensagens são trocadas por WhatsApp diariamente e muitas pessoas já possuem perfis em redes sociais. O alerta de Martins aos teleoperadores foi quanto ao uso desses sites e a exposição de sua privacidade na rede.

O professor afirmou que é ter bom senso na hora de postar nas redes sociais e adotar a mesma postura do dia a dia em público. “Cuidado com comentários sobre chefes, empresas e colegas. Tudo o que se posta é monitorado na rede”, reafirmou Martins.

Ministério do Trabalho fala sobre as dificuldades enfrentadas pelos teleoperadores brasileiros

A segunda palestra do Encontro Nacional de Teleoperadores foi apresentada por Odete Reis, representante do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Ela apresentou dados da fiscalização dos minitério junto aos call centeres em todo o país para identificar e coibir os abusos aos teleoperadores.

Durante as fiscalizações, o Ministério do Trabalho identificou problemas já conhecidos no cotidiano do teleoperador: assédio moral, controle dos tempos de pausa, pressão por metas inatingíveis, exigência da utilização exata do script, a omissão da empresa da real jornada de trabalho, entre tantas outras irregularidades, infringindo o Anexo II da NR17.

O controle do uso do banheiro, disse Odete, apareceu em todas as fiscalizações. Houve casos em que o Ministério interditou as empresas por tantos abusos. Mas apesar das fiscalizações em todo o país, Odete afirmou que o MTE não tem conseguido reverter todos os problemas do setor. “A batalha é longa, há muito o que fazer, mas trazer esses pontos para a discussão são fundamentais para obter melhores resultados”, concluiu.

A segunda palestra do Encontro dos Teleoperadores foi feita Alan Sable. representante da UNI Américas. Ele descreveu o panorama da profissão de teleoperador no mundo e disse que, apesar de todos os erros e acertos, o Brasil está a frente na organização dos trabalhadores nesse setor.

A Coordenadora da Comissão Nacional do Teleatendimento e Diretora Executiva da FENATTEL, Iara Martins, falou sobre os principais pontos discutidos nos Seminários Estaduais que foram realizados em treze estados e sobre a importância da regulamentação da profissão de teleoperador.

Teleoperadores compõem a pauta nacional de reivindicações

O encerramento do 1º Encontro Nacional dos Teleoperadores da FENATTEL foi marcado pela composição da pauta nacional de reivindicações dos teleoperadores de todas as regiões do Brasil.

A Comissão Nacional apresentou os itens definidos pelos trabalhadores nos treze seminários estaduais realizados pela Federação e seus sindicatos filiados. Com base nos debates das pautas regionais chegou-se à elaboração da pré-pauta nacional unificada de reivindicações.

Essa pré-pauta será levada para a aprovação dos trabalhadores em assembleias estaduais. Em seguida, a pauta será entregue para as empresas para negociação.

Os principais itens de reivindicação são: aumento real, igualdade de salários e condições de trabalho em todo o país, PPR digno, fim do assédio moral e sexual e contra a alta rotatividade.

Nesta quinta-feira, dia 8, o dia será de Assembleia Geral para a escolha da nova diretoria da  FENATTEL

Programação:

8h30 – Abertura
Formação da Mesa com a atual Diretoria Executiva da Federação
9h00 – Palestra com João Guilherme Vargas Neto : Cenário Nacional e Desafios para o Movimento Sindical
9h30 – Palestra com Representante do DIAP André Luis dos Santos: A Conjuntura Nacional e Agenda Sindical no Congresso
10h00- Debate e abertura para inscrições dos delegados
11h30- Apresentação da Proposta de Programa da CHAPA 1 para o próximo mandato
12h00 –Debate de propostas e votação
13h00 – Apresentação da Chapa 1 e única
13h30 – Votação da Eleição da Nova Diretoria da FENATTEL
14h30 – Encerramento

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Pin It on Pinterest

Sinttel-ES