Notícias

Mato alto nas centrais da Oi põe em risco a vida de trabalhadores

06/07/2018 - 6h49 - Sinttel-ES - Tania Trento
Imprimir

Estação da Oi em Pinheiros, no norte do ES

Uma  perigosa e desoladora situação aflige trabalhadores/as que prestam serviços para a Operadora Oi, nas regiões norte e noroeste do ES. As centrais de telefonia da operadora (DGs, ELI) em diversas cidades, estão sendo encobertas pelo mato que cresce sem capina, causando transtornos e dificuldades para os técnicos que precisam entrar e sair das estações. Além disso, ficam expostos à picadas de cobras e escorpiões que se proliferam nos matagais.

A empresa Araujo Abreu é a contratada da Oi para fazer  a manutenção dessas centrais. Segundo informações não oficiais, o intervalo entre uma limpeza e outra é de seis meses. Porém, a realidade mostra que seis meses é prazo longo para dar manutenção, mesmo em estações não habitadas como é o caso de Fátima (ELI), em Jaguaré.

O diretor do Sinttel-ES, Marcelo Silva Gomes denunciou a falta de limpeza e os problemas que o mato alto causam aos trabalhadores que precisam ir às estações para fazer ligações e reparos nas redes de telefonia e internet. Ele fez um levantamento fotográfico que mostra o total descaso da Operadora com os locais de trabalho dos seus terceirizados. Revelou que, ao conversar com funcionários da empresa Araujo Abreu, soube que eles nunca foram limpar a estação de Água Boa do Norte (Ponto Belo). “Nem sabem onde fica!”, disse.

Abandono

Marcelo desabafou: “Há mais de três meses venho cobrando,  junto a minha supervisão, uma providência sobre o mato alto em várias centrais do norte. Simplesmente a Oi ignora nossa solicitação.  Assim como, a retirada de um equipamento preso à parede (foto) e que põe em risco os técnicos dentro do DG de Pedro Canário. Devem estar esperando um acidente grave pois eu mesmo já bati duas vezes a cabeça nesse equipamento e quase caí da escada”.

Mas se o lado de fora está ruim, dentro não é menos diferente. Não há serviço de limpeza das instalações e banheiros internos. São os próprios trabalhadores que limpam os banheiros e, ainda, compram do próprio bolso materiais como sacola de lixo, papel higiênico, sabão, sabonete, cloro e desinfetante. Até mesmo os funcionários da Operadora  precisam utilizar e os banheiros que não tem condições de uso.

O diretor  postou as fotos no grupo de WhatsApp do SINTTEL mostrando a situação desoladora das estações de Pedro Canário, Conceição da Barra, Pinheiros, Boa Esperança e Jaguaré. Ele adiantou que a estação AABY, em Montanha, tem uma trepadeira que está subindo na torre de telefonia.

De pronto, outro diretor do SINTTEL, Cesar Rosalém, funcionário da Oi em Vitória, solicitou à gerência que a fosse feita uma limpeza com urgência. Ele também abriu solicitação para a manutenção das estações de PKO (Pedro Canário), CCB (Conceição da Barra), PHR (Pinheiros), FATM (Jaguaré), BRIO (Braço do Rio). A capina e retirada do mato, segundo Rosalém, já tem data: final de Julho pela empresa Araújo Abreu,  responsável por essa  manutenção.

Veja nas imagens captadas pelos próprios técnicos o estado de abandono e descaso nas centrais da Oi

 

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Pin It on Pinterest

Sinttel-ES