Notícias

Greve continua pelo 4º dia na Telemont

28/11/2016 - 17h47 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

greve-jd-limoeiro28112016-74Movimento continua amanhã em toda a Grande Vitória convocado pelo Sinttel-ES

Desta vez foram os trabalhadores que atuam em Vitória e Serra que cruzaram os braços, em resposta ao silêncio da Telemont sobre as reivindicações dos trabalhadores. Durante todo o dia, os trabalhadores fizeram um piquete no portão da empresa em Jardim Limoeiro, Carapina/Serra. Em Cariacica, onde também estava prevista a paralisação, a chefia – contra o que determina a Lei de Greve – liberou bater o ponto, fazer inventário e pegar material, forçando o não comparecimento dos trabalhadores no seu galpão de Vila Capixaba, Cariacica. Esse fato fará parte das denúncias que o Sinttel apresentará ao Ministério Público do Trabalho, por intimidação, pressão da empresa contra os trabalhadores. greve-jd-limoeiro28112016-72O movimento continua nesta terça, 29, contando com a adesão de todos os  trabalhadores.

A paralisação em Jardim Limoeiro contou com uma adesão importante: dos coordenadores, supervisores, gerentes, encarregados, que ficaram do outro lado da calçada acompanhando o movimento de greve. “Já que eles não fizeram outra coisa durante todo o dia, consideramos que também aderiram às nossas paralisações”, disse o Diretor do Sinttel Reginaldo Biluca.

Reintegração de Ozias, trabalhador demito por estar doente
greve-jd-limoeiro28112016-33

Ozias de camisa listada foi reintegrado, durante a greve dos trabalhadores na Telemont

No meio da manhã, os trabalhadores em greve puderam acompanhar a reintegração de Ozias Souza Ferreira, cuja volta pela empresa foi determinada pela Justiça, no dia 07 de novembro, em ação movida pelo Sinttel. Ele foi saudado por todos os companheiros que ovacionaram a sua volta à empresa.

A história de Ozias é muito triste e revela o lado perverso dessa empreiteira da Oi. Ozias sofreu um assalto durante o trabalho. Nesta ocasião, a Telemont – que ama seus empregados – não lhe prestou nenhuma assistência. Pelo contrário.  Após esse ato de violência, apareceram as sequelas e problemas psíquicos. A  Telemont o des-car-tou, alegando que ele não tinha condições de trabalhar. A obrigação da empresa era emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e permitir que ele tivesse a assistência do INSS, afinal, é  para isso que se contribui com a Previdência Social.

Os advogados do Sinttel questionaram o laudo do exame demissional que indicava problemas de saúde, o que impediria a demissão, afinal, não se pode demitir um empregado doente. É por isso que se fazem os exames demissionais.

Comprovada a demissão ilegal, o juiz determinou a reintegração de Ozias ao emprego, com pagamento dos salários do período de afastamento. Ordenou que Telemont encaminhe o trabalhador à previdência social para a apreciação da sua doença e condições dele para trabalhar.

Danos Morais

Por não ter expedido a CAT; não ter dado assistência após o assalto sofrido e ainda demitido o trabalhador, sem  lhe conceder a assistência necessária para ultrapassar os problemas psíquicos originados nos assaltos sofridos o Juiz fixou a indenização em R$ 5 mil levando em consideração a gravidade do dano; a repercussão na intimidade do empregado e na sua vida social;  a intensidade da culpa da Telemont e a possibilidade econômica da empresa, ou seja, que a Telemont tem condições de pagar a indenização.

Almoço proporcionou debate e aproximação com o Sinttel

greve-jd-limoeiro28112016-29 greve-jd-limoeiro28112016-30Durante o almoço onde, todos estiveram juntos numa cantina ao lado da empresa, houve a oportunidade de troca de informações entre os trabalhadores e os diretores do Sinttel, que coordenaram o movimento.

Os trabalhadores, mais uma vez, falam das cobranças excessivas por parte dos Coordenadores, Supervisores/Gerentes/Encarregados. Relataram, ainda, que estes gestores se contradizem nas orientações. Oficialmente é proibido pela Telemont/Oi que aos Instaladores/Reparadores passem para o cliente o seus telefones  pessoais para eventual contato e atendimento. Mas os trabalhadores relatam que é justamente o contrário: os Supervisores/Gerentes/Encarregados cobram que eles façam o que é proibido. Tudo por causa dos indicadores. Mas é com os indicadores deles próprios que estão preocupados.  Desta forma, segundo os trabalhadores, em várias situações eles são obrigados a atenderem os clientes, até fora do horário normal de trabalho, para não comprometerem os indicadores de qualidade da Oi, pois o chamado do cliente não é registrado. Em português correto isto é BURLA.

Após o almoço, os trabalhadores voltaram para a frente da empresa, se posicionando na entrada que fica pela Rod. Norte Sul. Durante a parte da tarde, chegaram até interromper o transito da Rodovia por alguns minutos por várias vezes. Ao contrário da Telemont, receberam o apoio de vários motoristas, principalmente dos motoristas de ônibus que, hoje, fizeram uma greve de três horas para pressionar os patrões a avançarem na negociação coletiva daquela categoria.

Ao final, já se aproximava das 16:00 horas a empresa chamou a Polícia Militar que, somente acompanhou o que estava acontecendo. Explicada a situação, não houve repressão por parte dos PMs. O movimento foi suspenso, com o compromisso assumido por cada um dos presentes de trazer ao menos mais um companheiro para aumentar a participação e fortalecer ainda mais a Greve dos Trabalhadores, nesta terça-feira, 29.

Carro de diretor do Sinttel é vandalizado pela Telemont

greve-jd-limoeiro28112016-20 greve-jd-limoeiro28112016-35Durante o movimento, o diretor Reginaldo Bilucas teve seu carro, um gol, vandalizado. Três, dos quatro pneus esvaziados. Foi preciso contratar um guincho para levar o seu Gol para a oficina. Revoltado, resolveu retribuir a ação da Telemont, também esvaziando dois pneus de um dos Fiats da empresa. A atitude de Biluca, que se encontrava revoltado, não foi correta, mas a Telemont fez mais: ainda distribuiu as imagens nos grupos de Whats App e Telegram da empresa, criticando e humilhando o diretor e o Sinttel, sem contar que tudo começou devido as maldades que ela mesmo iniciou o que, diga-se de passagem, todos já viram ou sentiram na própria pele. Desafiamos a empresa a também publicar as imagens do ataque ao carro do diretor. Biluca também fará um Boletim de Ocorrência na Polícia sobre o prejuízo que seu carro sofreu.

A Greve continua nesta terça-feira com mais força e participação.

Se não pressionar, a Telemont não vai pagar:

• Reajuste salarial
• Reajuste no tíquete
• Reajuste no aluguel dos carros agregados que está há dois anos sem reajuste
• Pagamento de PPR
• Folgas aos sábados na escala da Semana Espanhola
• Insulfilme nos vidros para nossa segurança e conforto
• RV com pagamento transparente
• Seguro Total dos veículos
• Indicadores
• PDA
• Periculosidade do técnico TV
• Fim das punições e perseguições dos chefes.

Imgens do nosso protesto

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Sinttel-ES