Notícias

Claro volta à negociação, mas sua proposta chega à indecência

10/11/2016 - 17h34 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

 Em reunião dia 9/11, a Claro manteve a mesma proposta indecente: acrescentou apenas 2% a ser pago em janeiro de 2017.

Exigimos 100% do INPC (9,62%) para os salários e benefícios.

A Claro quer manter os benefícios congelados por três anos consecutivos para equipará-los aos dos empregados oriundos da NET, que recebem salários e benefícios inferiores, mesmo estando desde jan/2015 sob o mesmo CNPJ. Ou seja, são empregados da Claro como qualquer outro.

A proposta vergonhosa da Claro não se justifica porque a receita da empresa cresceu 2,02% em 2015, está em segundo lugar, só sendo superada pela Vivo. É líder em TV por assinatura, mas trata empregados de forma desigual no mesmo local de trabalho. Assédio moral é pratica corriqueira, com transferência de setor ou setores inteiros para outros estados, sequer garantindo os postos de trabalho.

Nas últimas campanhas salariais perdemos mais de 3% nos salários;

– VR/VA (Embratel) as perdas passam de 30%;

– VR/VA (Claro) as perdas passam de 20%;

– Sem proposta digna de PPR e sem antecipação

A verdade é que a Claro enrolou, pediu tempo, consumiu a paciência de todos e adivinhem? Veio para a reunião de negociação SEM NADA DE NOVO.

Já estamos em novembro e ninguém aguenta mais suas propostas miseráveis. Como uma empresa que faturou R$ 16,68 bilhões só nos primeiros nove meses do ano oferece migalhas?

• 3% em setembro de 2016 e + 2% em janeiro de 2017

• VA e VR – ZERO (de novo)

• Demais benefícios – 5% em setembro de 2016 Vale lembrar que a inflação do período fechou em 9,62%, e empresa nos chama para oferecer isto?

Ninguém está de brincadeira neste processo! Estamos tratando da vida do trabalhador. Da sua capacidade de comprar e cumprir suas obrigações.

Equiparação e Isonomia Já!

Congelar mais uma vez o VR e VA. Essa é proposta de uma das maiores operadoras de telefonia do País. Outro ponto que não há ser humano no mundo que consiga entender é: por que trabalhadores da mesma empresa têm benefícios diferenciados? Não importa se são oriundos da Claro, da Embratel ou da Net. Hoje, todos fazem parte de uma mesma empresa.

PPR 2016

A Claro não quer nem tratar do PPR. Não quer pagar antecipação e diz que vai manter as mesmas condições absurdas propostas na última reunião.

Para não esquecer: o benefício pode ser ZERO. Com tantos ZEROS distribuídos e um reajuste salarial tão mesquinho, a Claro aposta na enrolação para ver se empurra goela abaixo qualquer coisa.

Os Sindicatos mostraram indignação na reunião de negociação.  Agora é preciso reafirmar esta vontade juntos aos trabalhadores.  Lembramos da greve dos bancários que, por meio da mobilização, conseguiram mudar a proposta de reajuste que os bancos queriam impor.

Os custos operacionais da Claro ficaram praticamente estáveis em 2015, R$ 23,84 bilhões, quando considerada a incorporação com NET/Embratel. Porém, ao comparar com os resultados sem a incorporação, percebe-se redução dos custos em 2014 (-5,2%).

A despesa com pessoal (segundo o demonstrativo do valor adicionado) ficou em R$ 3,86 bilhões em 2015 e representa apenas 18,9% do Valor adicionado (riqueza produzida pelos trabalhadores).

A estimativa do impacto do reajuste de 9,62% em salários e benefícios será de R$ 371,34 milhões/ano, ou 1,82% do valor adicionado. Trabalhador, Vamos elevar o tom de voz nas portas da empresa em todo país.

Só quem luta, Vence!

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Sinttel-ES