Notícias

Proposta de ACT da Vivo é decepcionante

20/09/2013 - 8h12 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

Negociações ACT 2013 com a Vivo/Telefônica

A proposta da Vivo/Telefônica apresentada à Comissão Nacional de Negociações dos Trabalhadores na reunião realizada em São Paulo, dias 18 e 19, é lamentável e decepcionante. Por isso foi rejeitada de imediato pela Comissão.

A empresa propôs um reajuste escalonado por faixa salarial e que o parcelamento desse reajuste se faça da seguinte forma:

4,85% de reajuste (parte da inflação do período) em 1º de setembro para todos os empregados. O restante da inflação devida será pago em jan/14 e escalonado por faixa. Os salários até R$ 2.500,00 terão reajuste de 1,16% em 1º de jan/14 e quem ganha acima disse receberá na mesma data um valor fixo de R$ 157,75.

A proposta da empresa é inaceitável e gerou protesto dos dirigentes sindicais que integram a Comissão de Negociação representando todos os sindicatos da Fenattel.

Além de propor o reajuste escalonado de salário, a Vivo nem cogita a possibilidade de garantir o ganho real que inicialmente seria de 5% sobre os salários já reajustados. Reivindicação das mais importantes para os trabalhadores na Campanha das Operadoras para nesse ano.

Outras questões também frustraram a Comissão: a inexistência de uma proposta da empresa para por fim a desigualdade de salários e benefícios imposta aos empregados das lojas e de funções administrativa é uma delas. Essa prática da Vivo é discriminatória e intolerável.

QUEREMOS REAJUSTE LINEAR

A proposta da Vivo é uma ducha de água fria na cabeça dos trabalhadores em todo país. A empresa, ao contrário do que disse, chorando misérias e alegando dificuldades financeiras, vai muito bem obrigada.

Os números sobre seus resultados financeiros são de conhecimento público. A Revista Valor, edição de nº 1000, divulgou recentemente que a Telefônica/Vivo Brasil é a maior no setor de telecomunicações, a primeira no ranking de receita líquida e a quarta maior em valor de mercado. Onde estão as dificuldades?

Essa tática das empresas de se fazerem de coitadinhas não convence dirigentes sindicais acostumados às negociações e bem informados, especialmente hoje, quando as informações circulam com muita rapidez e está ao acesso de todos, no celular.

Lágrimas de crocodilos não nos comovem, queremos reajuste pelo INPC integral sobre salários e benefícios para todos os trabalhadores, independente de sua faixa salarial mais ganho real.

Ao final da reunião e diante do impasse criado pela empresa, a Comissão Nacional de Negociação dos Trabalhadores não teve outra saída senão fazer uma contraproposta e deixar na mesa com os representantes da Vivo. Uma nova rodada de negociações já foi agendada para os dias 1 e 2 de outubro. Confiram a seguir a proposta da Vivo, rejeitada na mesa, e a contraproposta da Comissão.

PROPOSTA DA VIVO

. Reajuste de 4,85%em 1º de setembro para todos os empregados
. Reajuste de 1,16% a partir de 1º de jan/2014 para quem tem salário até R$ 2.500,00
. Um valor fixo de R$ 157,75 em jan/14 para quem tem salário superior a R$ 2.500,00
Reajuste de 4,85%, a partir de 1ª de setembro, sobre os valores atualmente praticados para os seguintes benefícios:
Auxílio alimentação
Auxilio refeição extraordinário
Auxílio creche
Auxílio babá
Auxílio excepcional
Auxílio funeral
Quebra de caixa

. Reajuste de 1,16%, a partir de 1º de Janeiro, sobre os valores dos benefícios reajustados
. Correção do auxílio alimentação dos empregados das lojas em 0,88%a partir de 1º de Julho
. Manutenção do valor atual (R$ 0,85) do reembolso por quilômetro rodado

Banco de horas – amplia o prazo de compensação das horas excedentes realizadas a partir de 1º de setembro para 180 dias

PPR – manutenção do modelo atual por 2 anos (target = 2,20 salários).

A CONTRAPROPOSTA DOS SINDICATOS
. Reajuste Salarial – 6,07% + 3,5% de ganho real em 1º de setembro para todos os empregados independente da faixa salarial. A Comissão não aceita o reajuste escalonado por faixas salariais
. Benefícios – reajuste de 6,07% + 3,5% + equalização de valores entre estados, setores administrativos e lojas
. PPR- não discutir no ACT, mas garantir negociar no 1º trimestre/14;
. Bolsa de estudo – reajustar o valor de R$ 250,00 e inserir no ACT;
. Férias -90 dias de estabilidade após retorno;
. Empréstimo de férias – no valor de um salário parcelado em 10 vezes para todos
. Complemento de auxílio previdenciário e de acidente de trabalho – Igual para os setores administrativos e lojas
. Ônibus fretado – onde for necessário;
. Seguro de Vida – reajustar
. Plano odontológico – estender para os trabalhadores de São Paulo;
. Auxílio medicamentos doenças crônicas – para todos os trabalhadores;
. Diárias de viagem – R$ 100,00 sem nota;
. Reconhecimento dependente – companheira/companheiro e relação homoafetiva legal (29ª da pauta);
. VA e VR extra – 1 tíquete;
. 13ª cesta de benefícios – 1 carga de VA/VR em dezembro;
. Banco de horas – queremos o fim
. Auxílio babá – pagar para afastamento até seis meses e aceitar parentes como prestador do serviço;
. KM – reajustar conforme demais benefícios, observando as particularidades regionais, a exemplo do valor do combustível no AC e RO (maiores do Brasil)
. Variável de lojas – solicitamos agendamento de reunião para discutir as regras para pagamento

Inscreva-se para receber notícias do SINTTEL-ES pelo WhastApp.
Envie uma mensagem com o seu nome (completo) e o de sua empresa para (27) 98889-6368

Pin It on Pinterest

Sinttel-ES