Notícias

CUT: Lula é um preso político, e resistência vai continuar

09/04/2018 - 17h30 - Sinttel-ES - Redação
Imprimir

Para a entidade, afastar Lula da disputa eleitoral é uma tentativa de evitar um projeto que reverta ‘as desastrosas políticas dos golpistas de retirada de direitos’

Mobilização no Sindicato dos Metalúrgicos: prisão quer evitar que Lula de retome e amplie o projeto democrático

São Bernardo do Campo (SP) – A CUT disse considerar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “um preso político”, ao ser condenado “com um processo forjado, sem provas”, no que a central identifica como “aprofundamento do golpe de 16 de abril de 2016”, que resultou no impeachment de Dilma Rousseff.

Para a entidade, afastar Lula da disputa eleitoral é uma tentativa de evitar um projeto que reverta “as desastrosas políticas dos golpistas de retirada de direitos” e que “entregam o nosso patrimônio público às multinacionais afetando a soberania nacional”.

Depois do ato com a presença de Lula, no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo, representantes da Frente Brasil Popular estão reunidos para avaliar os próximos passos.

Confira a íntegra da nota da CUT:

Hoje Lula é um preso político. Em mais de 40 anos de atuação política o ex-presidente Lula teve sua vida virada e revirada pelos órgãos de investigação e nunca encontrado nada que pudesse manchar a sua história e a sua honestidade. Foi somente com um processo forjado, sem provas, repleto de irregularidades e ilegalidades que fabricaram essa condenação.

Essa sentença de prisão injusta é o aprofundamento do golpe de 16 de abril de 2016, que culminou com o impeachment sem crime de responsabilidade da presidenta Dilma.

Ao longo das últimas quatro décadas, Lula tem enfrentado uma brutal campanha difamatória da grande imprensa sem que isso tenha abalado a sua popularidade junto aos trabalhadores e trabalhadoras e ao povo pobre o país.

Hoje, sem dúvida, o companheiro Lula seria eleito novamente presidente em primeiro turno para retomar e ampliar o projeto democrático e popular, revertendo as desastrosas políticas dos golpistas de retirada de direitos trabalhistas, que arrocham salários, geram desemprego e trabalho informal, que entregam o nosso patrimônio público às multinacionais afetando a soberania nacional.

A CUT reafirma o seu apoio ao ex presidente Lula e também a sua candidatura a presidente do Brasil.

Não nos calarão
A CUT conclama as suas bases e o conjunto do movimento sindical, as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, as personalidades democráticas, artistas e intelectuais a intensificar a campanha em defesa de Lula livre, contra sua prisão arbitrária construindo Comitês Populares Lula Livre.

A CUT conclama todos os sindicatos filiados a desenvolver atividades em suas bases pela libertação imediata de Lula, com panfletagens, assembleias nos locais de trabalho e manifestações, desde já.

A CUT propõe a todos os seus ramos e CUTs estaduais a entrarem em estado de mobilização permanente, associando a defesa dos direitos trabalhistas e sociais atacados ou ameaçados com a defesa da liberdade para Lula e do seu direito de ser candidato à presidência da República.

Na democracia cabe ao povo soberano decidir em eleições livres!

Em todos os fóruns internacionais em que a CUT participa, denunciaremos a condição de Lula como preso político, reforçaremos o Comitê Internacional em sua defesa.

Vamos fazer grandes atos de 1º de Maio em defesa de nossos direitos e da liberdade de Lula.

Como disse inúmeras vezes o companheiro Lula:

“Que ninguém nunca ouse duvidar da capacidade de luta da classe trabalhadora”

Lula vale a Luta

Lula Livre

Somos todos e todas Lula!

São Bernardo do Campo, 7 de abril de 2018

Executiva Nacional da CUT

por Redação RBA publicado 07/04/2018 15h49, última modificação 08/04/2018 10h25
RICARDO STUCKERT

Receba o Resumo de Notícias do Sinttel-ES no seu WhatsApp.
Mande uma mensagem (olá, oi, ei) pelo WhatsApp para o número (27) 98889-6368 e você será cadastrado.

Sinttel-ES